The Verve - Bittersweet Symphony

2 de outubro de 2010


Eu ensaiei bastante até decidir escrever um post sobre esta música porque, mesmo aparecendo frequentemente nos casamentos que temos assistido, o Marcio encontrou uma historinha um tanto polêmica sobre ela. Sempre esse meu noivo encontrando tudo o que deve - e o que não deve - com seu amigo Google!

Em um dos primeiros casamentos a que fomos juntos, o da Carlinha e do Priscilo, ouvimos a "versão casamentícia" de Bittersweet Symphony tocar na igreja e adoramos. Ela tem estilo melódico parecido com Viva la vida, pop com um que clássico, acho que por causa dos violinos. A melodia é muito linda mesmo e eu só tenho boas lembranças quando a ouço porque ela tocava bastante em uma das épocas mais intensas da minha vida que foi a época do vestibular.

A polêmica que o Marcio encontrou na internet é acerca da letra possivelmente catastrófica da música que não combina com a celebração de uma união. Bittersweet Symphony pode ser traduzida como Sinfonia amarga e doce e a sua letra fala do sofrimento que uma pessoa está sentindo por não encontrar um sentido para a vida. Que fique bem claro que meu inglês é tão bom quanto meu grego - aliás, alguém entende o que ele fala antes de começar a cantar? - , que não sou entendida de bandas nem da história do The Verve e que também não sou crítica de música. Só estou colocando o que eu acho e fico imaginando com a minha mente hiper criativa quando ouço a tal música.

Pelo que eu entendi, o autor diz que acha a vida uma sinfonia amarga e doce ao mesmo tempo. Bittersweet, até onde eu sei, é usado para falar de chocolate meio-amargo que mantém o sabor docinho e característico do chocolate, mas é mais denso e também tem notas de sabor amargo quando colocado na boca. Eu sei do chocolate, mas quem gosta de café adoçado deve sentir a mesma coisa. Docinho mas amargo e um tanto azedinho no final.

E sabe que eu concordo, pelo menos com esse verso da música? Tem momentos na vida que são bem amargos, que a gente perde as esperanças e fica desacreditado, sentindo um vazio enorme no peito. Quem nunca passou por isso? Have you been down? (Você já esteve mal?) E nessas horas não adianta fazer muita coisa, às vezes só o tempo mesmo para amenizar a dor. Eu tento (só tento porque conseguir são outros quinhentos) ver sempre o lado bom das coisas e acho que a letra de Bittersweet Symphony não é tão trágica assim se pensarmos que a vida tem seus momentos amargos sim, mas também tem muitos momentos doces.

Eu vejo isso pela época da minha vida em que conheci essa música. Com 17 anos e encarando o vestibular é difícil você estar de bem com a vida. Mesmo vivendo em uma família feliz, estudando em um bom colégio e com muitos bons amigos, a pressão de ter que entrar naquela faculdade, no curso que vai ser sua profissão para o resto da vida, a incerteza do que te espera, as primeiras desilusões amorosas... o suficiente para angustiar a criaturinha que está tentando sair da adolescência, não?

Engraçado que também tenho um carinho imenso - assim, enoooorme - por essa época, das bobagens no colégio, das aventuras depois da aula, das conversas até de madrugada no telefone, das musiquinhas que a gente cantava, dos sonhos de "daqui a dez anos"... eu fiz bons amigos nas outras épocas, mas dá para contar nos dedos das mãos. É... não tem como esconder o carinho especial que tenho pelos que passaram juntos por essa fase tão tumultuada, tão divertida, tão amarga e tão doce da vida...

E pensando em tudo isso, eu a colocaria no nosso casamento sim. Mas não faço tanta questão porque ela já tem seu cantinho do repertório da minha vida.


Cris, filosofando

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...