Como escolher seu Buffet/Banqueteiro e Espaço para eventos

9 de setembro de 2010

Imagem: Getty Images

Comida é importante? Claaaaaro que é! A gente que o diga, depois de SETE degustações... só que em um casamento não dá para dar importância só para este item: o conjunto da obra tem que ser harmônico - acho que vou adotar essa frase como mantra para a vida...

Fato é que a gente penou muito para conseguir escolher um espaço para o nosso casamento. No começo queríamos um espaço sem serviço de buffet fixo, para não ficarmos sem opções, ainda mais com os agradinhos que queríamos para nossos convidados importados. Depois que desencanamos das frescurinhas de cardápio, abrimos o leque para os espaços com buffet fixo, com a condição que eles servissem comidinha boa e honesta. Se já estávamos perdidos, aí sim que a coisa ficou feia. O que vou escrever aqui é o que fizemos e deu certo para nosso perfil e de nossos convidados.


Observação
Não vou entrar nos créditos à nossa querida Eriquinha, assessora-amada-idolatrada-salve-salve, que nos tirou desse labirinto cheio de armadilhas e nos orientou como num passe de mágica para conseguir fazer as escolhas conforme nossos gostos e desejos. Esse negócio de organizar um casamento é só uma vez na vida (espero!), não dá para "ir fazendo" se você não tem experiência com eventos desse tamanho e, pior, é indeciso e perdido como o casal deste blog. Tenho arrepios toda vez que imagino o que teria sido da gente se não encontrasse a Eriquinha...



Escolhendo onde vai ser a festa

Nas nossas pesquisas descobrimos que quando um espaço tem serviço fixo de buffet, o preço cobrado por pessoa é bem alto (entre R$130 e R$250) e o preço do espaço é mais em conta (entre R$5 mil e R$10 mil). Já os buffets especializados em casamentos cobram em média R$100 por pessoa por um jantar franco-americano, mas os espaços interessantes que aceitam buffets de fora são um tanto mais caros (a partir de R$15mil e o céu é o limite!). Se fizermos as contas, acaba saindo elas por elas e por isso concluímos que o importante é o espaço, já que comida boa muita gente faz. A não ser que você tenha se apaixonado perdidamente pela gastronomia do buffet que tem espaço fixo e não atende em outro lugar, vale a pena pesquisar: em São Paulo não faltam opções.

Se o lugar acomoda tranquilamente seus convidados, sem ser grande demais nem do tamanho certinho (é bom ter uma folguinha), se é perto da onde vai ser sua cerimônia religiosa ou tem espaço para que ela seja feita alí mesmo, se a localização é boa e tem infraestrutura suficiente para esse tipo de evento e, o mais importante, se os noivos gostam do ambiente, ok: entra para a lista de finalistas.

Entre esses finalistas, os que permitem buffets de fora devem ter cozinha bem estruturada e preço de utilização desta, razoável. Já os que têm buffet próprio ou fixo devem ter opções de cardápio que agrade vários paladares e, principalmente, os noivos. Sempre é bom participar de uma degustação para conferir o perfil dos pratos e confirmar a qualidade do serviço como um todo. Cuidado com os buffets que não deixam fazer degustação antes de fechar contrato: é melhor ter certeza do que está contratando do que ter surpresas desagradáveis que não poderão ser substituídas.


Escolhendo buffet e banqueteiros


Se tiver alguma indicação, ótimo: a opinião de quem já contratou os serviços ou presenciou o trabalho no "vamo ver" é a melhor que se pode ter. Se não, degustação é o melhor caminho para conhecer o cardápio, a qualidade do serviço, o estilo de trabalho. O primeiro passo é pedir um cardápio e orçamento de serviços para a quantidade de seus convidados e horário de festa.

Como casamos às 17 horas, a festa começará aproximadamente às 18h30min e gostaríamos de servir um jantar franco-americano, aquele que parte é servida por garçons e parte é o convidado que se serve nos pontos de buffet. Escolhemos esse tipo de serviço por dar mais liberdade aos convidados quanto ao momento de se servirem, coisa que no serviço à francesa eles precisam estra sentados para que os garçons possam trazer os pratos: se você estiver conversando com aquele amigo que não vê há tempos e não perceber que o jantar está sendo servido, é capaz de passar fome. Outra opção que cogitamos foi o finger food, que logo foi descartada pela opinião de nossos pais que ficaram esperando o jantar "de verdade".

Coquetel frio, coquetel quente, salada, massa, arroz, carne vermelha, peixe, acompanhamentos, sobremesa, agradinhos... os itens são aprecidos, mas o que conta e a criatividade de cada empresa como variedades e ingredientes inusitados, além da apresentação que conta muitos pontos. O sabor não deve ser nem forte demais nem fraquinho demais: no nosso caso não teremos nem apimentados nem salgadoces, e adoraríamos a presença de peixe e arroz por conta dos japonesinhos mais velhos e dos próprios noivos.

Outros itens importantes:

- conhecer os talheres, copos, guardanapos, refratários e todo material utilizado no evento. Conferir o que eles oferecem e se é cobrado para que talheres e copos sejam montados nas mesas - é que a gente viu um buffet que cobra R$10 por lugar montado e isso dá uma pequena fortuna.

- as horas de serviço também devem ser especificadas, tanto do buffet como do espaço. Normalmente a contagem começa a partir do primeiro convidado que chega na festa.

- alimentação dos fornecedores envolvidos (fotógrafos, cinegrafistas, DJ/banda, assessoria, etc.). Se é cobrado e se é o mesmo cardápio.

- quantos convidados por garçon? Vimos que um serviço bom tem um garçon para cada 10 convidados.

- quantos pontos de buffet por convidado? O ideal é ter 01 ponto a cada 100 convidados (ex: se tiver 250 convidados, serão 03 pontos de buffet no salão)

- limite de antecedência para modificações no cardápio e no número de convidados. Tem multa? Quanto?

- quem comanda no dia? O chef estará presente ou algum responsável ficará o tempo todo no evento?

- conferir o que o espaço que vocês escolheram acha do serviço de determinado buffet: ninguém melhor do que quem já trabalhou junto para dar opinião.

E, por fim, mas não menos importante: preço. O buffet é um dos itens mais caros da planílha de gastos (se não for o campeão) e R$5 por pessoa já fazem uma grande diferença no orçamento. Se você tem 200 convidados, com R$5 de desconto no valor por pessoa do buffet dá para pagar os bem casados ou a roupa do noivo - se ele não quiser um Ricardo Almeida, claro. Como o Marcio já disse, negociar é imprescindível porque o mercado é muito competitivo e ganha quem souber conquistar o cliente.


Cris

PS: E a gente já foi conquistado, tanto pelo espaço como pelo buffet, que a gente conta outra hora. Hehehe... adoro fazer suspense...

1 comentários:

Emanuelle disse...

Muito boas as dicas! sou fã do seu blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...