Muzik Produções

29 de setembro de 2010

 
Terceiro DJ que vamos conhecer e já estamos um pouco mais inteirados dos termos e nomes dos equipamentos desses profissionais. Só um pouco. Mas, assistindo o video de apresentação e vendo os álbuns de fotos do evento, fica bem mais fácil de entender sobre o que eles estão falando. Sim: a Muzik tem um videozinho de apresentação do trabalho deles na Estação São Paulo e eu achei ótimo porque assim dá para visualizar direitinho o tamanho dos telões, a proporção que os equipamentos vão ocupar no salão, os efeitos das luzes e imagens... tudo do jeito que vai ficar. E como eles já fizeram muitos eventos lá, é mais fácil também de pensar em opções e soluções para a quantidade de convidados que vamos ter e a impressão que queremos passar.

Acho que não comentei, mas a Estação São Paulo tem uma lista de cadastrados de sonorização de DJ e banda. Eu entendi que você pode contratar qualquer DJ ou banda que você quiser, mas quem vai ficar responsável pela sonorização (caixas de som&cia) tem que ser uma das empresas que eles indicam. Como a maioria delas têm seus próprios DJs, é mais fácil procurar esses cadastrados se você quer um DJ. Se você quer uma banda, além dela você terá que procurar um dos cadastrados para fazer a sonrização. Ufa! Acho que é isso.

Todos os DJs que estamos visitando são dessa lista e a Muzik também. O Rômulo que nos atendeu disse que a Estação São Paulo é a segunda casa deles de tanto casamento que eles fazem lá. Já disse uma vez e repito: acho importantíssiomo saber se o fornecedor que você vai contratar já trabalhou ou pelo menos conhece as regras do lugar onde vai ser o casamento - tanto a igreja como o salão. Nada melhor para evitar surpresas desagradáveis depois que fechar o contrato ou até mesmo no dia. Se a pessoa já é conhecida, tudo flui melhor e com certeza ela terá soluções para fazer tudo acontecer da melhor forma e do jeito que a gente imagina.

O Rômulo nos deu ideias ótimas de posicionamento dos telões e plasmas para que todos na festa possam ver as imagens, onde quer que estejam sentados. É legal poder assistir sem precisar se levantar ou ficar na pontinha do pé, mesmo que seja só na hora de passara a retrospectiva do casal. O Marcio conferiu tudinho no último sábado, quando estivemos lá e ficou dando pitacos na organização do dia - esse meu noivo é muito empenhado, gente! Bom, além disso, a Muzik dá a opção de contratação de um VJ para ficar encarregado pelas imagens que vão passar durante a festa toda para que fiquem em harmonia com o traballho do DJ. É... eu lembro de achar estranho em alguns casamentos que a gente foi e que tocava uma música enquanto passava o clipe de outra música no telão... nada a ver, mas é melhor ser tudo sincronizado, nee...

E esse dia foi bem gostoso porque, no final das visitas, fomos os três jantar. Quando estamos só eu e o Marcio, ultimamente, a gente só come salada ou sorvete de iogurte, tudo com poucas calorias para não piorar a situação da noiva. Mas quando estamos com outras pessoas, não dá, nee... hehehe... aí eu aproveito para fugir da dieta dissociativa... será que a Eriquinha já se acostumou com minha mania de tirar foto de tudo que é comida? Espero que sim!

Cadillac do PJ Clarke's
Cris


Muzik Produções
www.muzikproducoes.com.br
atendimento@muzikproducoes.com.br

Rua Alvarenga, 797 conj.01
Butantã  São Paulo  SP
11.3031.2309 / 11.3813.5704 / 11.4667.9138

Contato: Rômulo

 

Cores que eu não gosto

28 de setembro de 2010


Tem várias cores que eu não gosto: e verde musgo é a campeã. Acho uma cor bem tristinha. Talvez fique bom em comidas com algas ou no sorvete de pistache mas, mesmo assim, prefiro os verdes mais alegrinhos. Falo que não teremos bem casados verde musgo, por exemplo. No começo do namoro, o Marcio até que tinha uma roupa ou outra dessa cor. Depois, ele doou tudo. Que fique bem claro que eu tive TUDO a ver com a decisão. ;)

Ah... e convenhamos que poucas pessoas tem o verde musgo como cor preferida. Eu não conheço uma. A Yumi tem uma quedinha, mas estou tentando fazê-la mudar de ideia: ela tem algumas blusas dessa cor e eu tento relevar pela amizade - eu te adoro, viu, Yumizinha! Principalmente quando está de blusa magenta! ;)

Quanto às minhas roupas, eu gosto de branco, azul, vermelho e tons pastéis - não, não tenho peças em verde musgo. Aliás, nem em marrom e nem em laranja. Sou nada fashion, gosto do tradicional beirando quarta idade - porque a terceira idade de hoje em dia é mais ligada na moda que eu. Já fui trocar sapato que tinha acabado de comprar porque o Marcio disse que era muito cara de velhinha. É um perigo me deixar fazer compras sozinha...

Lilás é outra cor que eu não gosto. E tem tanta decoração de casamento em lilás... acho lindo lindo mas não gosto. Acho que não combina comigo. Minha mãe é apaixonada pela cor, tudo dela é nesse tom e o vestido dela também será lilás - madrinhas, anotem aí. Klein deve explicar - e achar um prato cheio - tamanha antipatia por essa cor... 

Eis que, de tempos em tempos, eu tenho curiosidade em saber se eu realmente ainda não gosto de determinada coisa. Heim? Dizem que as pessoas mudam, então, o gosto delas também deve mudar, ué. Aí, lá vai a curiosa - e louca - verificar se houve ou não alteração: peguei uma blusa da mamãe emprestada e ainda pintei as unhas de lilás para combinar. Odiei.


Cris: ... não gosto de lilás...

Marcio: Você está com uma blusa lilás e as unhas lilás.

Cris: Pois é... é que eu acho a cor bonitinha, mas não gosto dela em mim...

Marcio: Então porque você está sim, Amorzinho?

Cris: Para eu aprender que eu não gosto mesmo dessa cor!

Marcio: Vai entender...

Cris

Como elaborar sua lista de convidados

27 de setembro de 2010

Imagens: Getty Images
Quem nunca ouvi falar que elaborar a lista de convidados é a parte mais tensa do casamento?

Depois do pedido de casamento e da escolha da data o próximo passo é "chutar" um número de possíveis convidados. Digo "chutar" porque para muitas pessoas é praticamento impossível determinar exatamente as pessoas que serão convidadas com tanta antecedência. Vide Marcio e Cris:

A Cris pode dividir seus convidados em 4 grandes grupos - parentes (que inclui os amigos dos pais), amigos do colégio/faculdade, amigos do Movi e colegas de trabalho - e não há previsão de mudanças até o dia do evento. Desde a primeira versão, só algumas pessoas entraram - e sairam também - da lista porque ela é constante e a Cris é emocional e indecisa, mas também é fiel quanto às suas decisões.

Já a lista do Marcio... essa dá dores de cabeça ao nosso querido noivo. A começar pelo fato de ser praticamento o dobro da lista da Cris. Tudo bem que a lista do Marcio também tem grupos fixos como o dos parentes, dos amigos de infância e dos amigos da graduação, mas nos outros grupos que estão relacionados com os locais de trabalho do Marcio é um entra e sai - mais entra do que sai - de gente toda semana. É só a gente ir num evento que ele lembra de pessoas que não colocou na lista.

A parte mais interessante é que ele vive falando que vai diminuir o número de convidados. Ahan. Sei.

É claro que, se a gente pudesse, convidava tooooooodo mundo, colocando lembretes e distribuindo convites para as pessoas que passaram por nossa vida e que a gente quer que estejam nesse dia tão importante para nós. Mas, vamos combinar que nem em véspera de Natal e Reveillón a gente deve - e pode - fazer uma coisa dessas. Ainda mais se  temos lugares à mesa e serviço de buffet que prepara um jantar/banquete para servir bem todos os convidados.

E aí? Como escolher as pessoas? Melhor: como excluir as pessoas?

As dicas que eu mais vejo por aí são calcular quantas pessoas vocês poderão chamar para a festa e dividir cotas para os noivos e para os pais dos noivos - que também querem chamar Deus e o mundo para "mostrar" os filhos nesse dia tão importante. Aí, é convidar só os amigos mais próximos, pessoas queridas, parentes de primeiro grau e colegas do trabalho que "não tem como não chamar".

Mas, se mesmo assim vocês estiverem estourados no número de convidados, tem umas dicas que eu achei bem legais. Primeiro, imagine aquela pessoa que você está na dúvida se chama ou não chama. Depois, responda as seguintes perguntas sobre ela:

- você sabe o nome completo da pessoa?
- a pessoa te liga no seu aniversário? Ou pelo menos manda mensagem no Orkut ou no facebook?
- e no Natal e Ano Novo?
- você a cumprimenta nessas datas?
- já foi na casa da pessoa? Melhor, você sabe onde ela mora?
- e ela? Frequenta a sua casa ou sabe onde você mora?
- você tem o eMail dela?
- e o número do celular gravado nos contatos?
- ela te convida quando faz festinha de aniversário? E para o casamento, você foi convidado?
- se ela for se casar, você acha que será convidado?
- você sabe se ela está namorando/casada/esperando o segundo filho/com problemas na família?
- você se lembra quando e onde foi a sua última conversa?
- vocês se viram ou falaram nos últimos 365 dias?
- você faz questão que ela faça parte da nova fase da vida de vocês que se inicia?

Se você respondeu "não" para mais de duas perguntas, é melhor repensar no convite. Eu vivo falando essas coisas para o Marcio, mas até agora ele nunca me ouviu. É claro que ficamos contentes quando alguém nos convida para seu casamento, mas eu imagino que existam pessoas que gostam muito da gente, mas não vão ficar chateadas se não receberem um convite para esse momento íntimo do casal - mesmo com centenas de outros convidados.

Ah! E eu também acho muito válido você entregar um bolinho ou bem casados para aquela pessoa do seu trabalho, por exemplo, que você não vai chamar, com um bilhetinho do tipo "Vou me casar e como será uma festa íntima não poderei ter a sua presença no dia. Mas te trago um pedacinho da festa!". O Marcio acha uó, disse que se quiser eu posso entregar, mas que ele não faria isso mas nem. Será?

Bom, realmente essa coisa de elaborar a lista de convidados é uma parte bem delicada dos preparativos do casamento. Mas tem que ser "ticada" da lista o quanto antes para poder prosseguir com as escolhas e, no nosso caso, queremos oferecer uma festa bem gostosa só para aqueles que estimamos muito - e até o momento estamos conseguindo.

Só falta o Marcio ler este post e criar coragem de cortar gente da lista dele...


Cris

Jason Mraz - I'm Yours

25 de setembro de 2010


Preciso contar uma fofoca! O Marcio estava cogitando (ainda está?!) mudar o destino de nossa lua de mel na França para o Havaí!

Não tem nada confirmado, mas há rumores indicando intenso interesse do noivo nas ilhas parasidíacas do Pacífico, onde os nativos comem abacaxi e tocam um instrumento parecido com um cavaquinho que se chama ukulele.

O menininho deste video só fala japonês, tem 5 aninhos e está aprendendo a tocar o tal ukulele. E eu me identifiquei - muito - com o jeito que ele adapta as palavras que ele não entende para poder cantar!

... aaaaandyooooou!!


Cris

PS: Tem um outro video desse mesmo japonesinho que ele canta uma música de autoria própria (!!) entitulada ma-i-na-ku-ma-na. Amorzinho! Quero um desses! ;)

Marcelo Piazza

24 de setembro de 2010

Imagem: Marcelo Piazza
Adoro quando quem nos recebe nessas reuniões com os fornecedores é o dono da empresa! Os vendedores são simpáticos sim, divertidos, sabem apresentar todos os detalhes que precisamos saber, sabem responder todas as perguntas sem pé nem cabeça que eu faço, têm tudo preparado, enfim, são ótimos. Os donos, muitas vezes, são bons no que fazem, na sua especialidade, mas não são tão bons para atender clientes como os vendedores que são só vendedores. Só que eu tenho uma admiração pelas pessoas que fazem questão de apresentar seu produto com orgulho e amor pelo que fazem, mesmo que não sejam experts em apresentações.

A reunião que tivemos com o Marcelo Piazza foi agradável e tranquila. O Marcelo pareceu bem zen, diferente da imagem de DJ que eu tinha - sempre imaginei esse tipo de profissional agitado e falante, além de ser depojado e meio "mano", até. Coisa da minha mente criativa. Mas o Marcelo nos recebeu em seu escritório e nos apresentou detalhadamente seu trabalho num clima bem tranquilo de conversa.

O forte da M. Piazza são os equipamentos de primeiríssima linha, todos importados e capazes de atender eventos do mais alto nível de sofisticação. Telões, plasmas, pistas de LED... coisas que eu nunca havia imaginado ou só visto em progamas da tv a cabo. Também têm muitos clipes, das músicas e dos eventuais filmes em que elas foram utilizadas, ele disse que muitos são clipes exclusivos que não estão disponíveis por aí, para passar nos telões sincronizadamente. Eu gostei bastante e achei que é legal poder ver o clipe e lembrar do filme enquanto você dança. Eu vivo perguntando para o Marcio "da onde eu conheço essa música mesmo?".

O Marcelo nos contou também que já esteve no Japão e ficou surpreso com a tecnologia muito evoluida nesse campo de "som, luz e video" necesários para animar um evento que contrasta com a valorização da cultura milenar que os japoneses têm. E eu e o Marcio nem nos sentimos orgulhosos do país de nossos antepassados, nee...  ;)

Falando em japoneses, eu pedi uma sugestão para o Marcelo sobre o que poderíamos fazer para ter uma festa legal para eles também. Ele disse que é inevitável mesmo que algumas pessoas vão embora após o jantar, mas que isso era independente de serem japoneses ou não. E uma sugestão que ele deu e que nós adoramos foi de tocar as "músicas japas" duante o coquetel ou jantar, mesmo que sejam só algumas para fazer um agradinho ao povo. Não é uma ótima idéia? Já estamos pensando nas músicas para o repertório...

É cansativo sim visitar vários fornecedores de um mesmo item, mas agora eu tenho certeza de que isso é importante tanto para comparar os serviços e preços como para ter ideias, inspirações  e soluções para nosso casamento. Tudo bem que tem um monte de coisa na internet, nos sites e blogs da vida, mas uma conversa com profissionais consegue ser muito mais precisa e rica em informações, como se fosse um "tira-dúvidas" diretamente com quem melhor entende do assunto. E, cá entre nós, os fornecedores que a Eriquinha nos apresenta são escolhidos para nosso perfil da nata do mercado de casamentos. 


Cris, orgulhosa até


M. Piazza Produção de Eventos
www.marcelopiazza.com.br
piazzasom@marcelopiazza.com.br

Rua José dos Santos Junior, 165
Brooklin  São Paulo  SP
11.5535.3605

Contato: Marcelo Piazza

Amar engorda?

23 de setembro de 2010
Imagens: Getty Images

Amar engorda? Se sim, somos o casal mais apaixonado que eu conheço.

Desde que começou nossa maratona de casamento eu vivo de dieta. Já foi a ração humana, o Vigilantes do Peso, o Koubo com Pholia Magra, a Dra. Cris Acupunturista e a novidade do momento é a dieta dissociativa que deixa você comer tudo - com bom senso, claro - contanto que você não misture proteínas e carboidratos numa mesma refeição. Simples assim.

Maaaas... quando chega a prática, você percebe que não é tãããão simples assim... pode macarrão, mas só se for ao sugo; pode sanduíche, mas só se for sem queijo; pode suco, mas só se for sem leite... e por aí vai. A Yumi e da dona Danila já haviam falado dessa dieta, mas só agora resolvi encará-la com seriedade - dá para sentir que a coisa está ficando tensa, nee?

Estava comentando com a Cris, mãe do Spoc, que no último ano eu engordei dez quilos. Dois pacotes de Momiji de 5 Kg cada. Para a criaturinha de 1m e 57 cm que vos fala, dez quilos é bastante coisa. Se for somar com o estrago feito desde que começamos a namorar, são assustadores vinte quilos. Sou praticamente um saco de batatas do CEAGESP.

O Marcio não fica muito atrás não: ele também ganhou 10 Kg depois que me conheceu. A que diferença é que ele era só pele e osso quando nos conhecemos a agora ele está bem, magro mas normalzinho. Já eu, que passei dos limites, estou com sobre peso. Bleee... Bem que a astróloga disse que um namorado pisciano me traria fome de viver... e de comida! Nada pode ser perfeito, nee...

E, não, não estou bem resolvida com esse peso todo a mais. Logo logo temos que ver vestido de noiva e queria me sentir bem nele. Aliás, queria me sentir bem no montão de roupa que eu tenho mas não consigo mais entrar. As caminhadas estavam suspensas por causa de uma gripe que peguei, mas hoje mesmo elas foram retomadas. A dieta dissociativa também está em dia, mas sem resultados até o momento. E estou vendo que no final de semana com dois chá-bar (qual é o plural de chá-bar?) vai ser difícil manter os carboidratos e as proteínas separadas no meu estômago... quem inventou os salgadinhos de festa?! E lá vou eu, literalmente, correr atrás do prejuízo.


Run Cris, run!

DB2 Produção

22 de setembro de 2010


Quando a Eriquinha nos passou o orçamento que a DB2 Produção mandou, eu entendi nada. Parecia que estava em grego! Movie light, box truss, mesa dimerizadora... Nem me dei o trabalho de tentar entender porque conheço meus limites. O Marcio até que tentou, mas não foi muito mais longe que eu.

Cris: Mas não era DJ?
Marcio: Continua sendo. É que tem coisas de iluminação e projeção também.
Cris: Mas não e só escolher e tocar as músicas?
Marcio: Se fosse assim tão fácil era só ligar um iPod nas caixas de som.
Cris: E porque a gente não faz isso?
Marcio: Deixa prá lá, Amorzinho...

Chegamos uns minutinhos antes do horário combinado e o DJ Diego ainda estava almoçando. Aliás, costumamos ser pontuais e é raro atrasarmos em qualquer tipo de evento, seja reunião, seja aniversário, seja casamento... tudo isso por conta do senso de programação (existe isso?!) do Marcio que calcula automaticamente todos os imprevistos possíveis e impossíveis e o horário que devemos sair para chegar a tempo nos compromissos. Mentira: pelas contas do Marcio temos que chegar ANTES do combinado para não deixar as pessoas esperando. E vocês não imaginam o desespero que eu fico quando acho que vou me atrasar... por isso mesmo ele diz que me passa um horário já imaginando uma folguinha para um possível atraso meu. Alguma dúvida de que nossa cerimônia começará às 17 horas, pontualmente?

Eu deduzi que o DB do nome "DB2 Produção" vem das iniciais DB do DJ Diego Briganti. Só esqueci de perguntar o porque do 2. Foi o próprio Diego que nos atendeu e isso já contou pontinhos na minha escala secreta! Mas a Paula também foi super - muito muito mesmo - simpática e atenciosa, apresentou a empresa, o trabalho que eles fazem, as possibilidades de montagem e muitas fotos de exemplos. Eu achei incrível eles terem tantas fotos de eventos que eles já fizeram no Estação São Paulo, com tantas opções e sugestões de iluminação e projeção de imagens. Será que todas as empresas (boas) desse ramo são assim?


DB2 na Estação São Paulo

Eu gostei muito também do bom humor e do entusiasmo do Diego! É bom mesmo conversar com pessoas que estão de bem com a vida e que amam o que fazem. Parece que a reunião flui melhor e o tempo passa mais rápido. Ele nos explicou um pouco como é a relação da música com os convidados na recepção, os momentos da festa, os tipos de música para casa situação, como manter a animação dos convidados e também nos mostrou opções de projeção de imagens como o video da retrospectiva do casal ou slideshow de fotos que escolhermos para que todos os convidados do salão possam assistir tranquilamente - coisa que só quem conhece o espaço poderia falar.

Uma vantagem de contratar DJ no lugar de banda é que toda a festa terá uma animação mais homogênea, numa curva exponencial crescente de animação (acabei de conferir o nome com o meu irmão!) como o Diego nos mostrou. Talvez não tenha picos de animação como no caso de uma banda ou atração, mas vai manter o clima animado a maior parte do tempo. Além disso, tem atração melhor que noivos felizes? Não... não quero ouvir outras respostas...

A DB2 faz um trabalho de assessoria musical com os noivos - e convidados também - para saber exatamento o que vai "bombar" no evento. Isso deve dar um trabalhão! Imagina só tentar entreter centenas de convidados de idades, tribos e gostos diferentes durante horas a fio! E eu que achava que era só colocar o iPod nas caixas de som que tava bom... Não dá para negar que todo esse trabalho resultará em um evento bem mais agradável para todos, no geral, e não só para alguns.

Aliás, minha questão com os convidados Made in Japan continua: será que eles realmente vão embora depois da sobremesa? Não consigo imaginar a avozinha do Marcio de 92 anos curtindo a festa depois do jantar, mas e os tios e tias? Melhor ainda: e nossos pais? É um dia importante e cheio de felicidades para eles também, mas o formato jantar+pista de dança não faz nenhum pouco o gênero deles. É difícil você estar em um país e tentar manter tradições de outro, ou mesmo tentar agradar gerações diferentes. Alguém aí tem uma fórmula mágica para nos contar?

Não vai ter karaoke nem danças típicas como acontece em um casamento no Japão. A única coisa que deve ser igual nos dois países é o momento do corte do bolo e o brinde aos noivos - e esses a gente já sabe que vai ter. Talvez até aconteça um discursinho de algum parente ou mesmo dos pais, mas isso não é tão comum no Brasil. Ah sim, teremos os bêbados, esses que animam qualquer festa no mundo inteiro!


Cris


DB2 Produção
www.db2producao.com.br
contato@db2producao.com.br

Rua Potsdam, 59
Vila Leopoldina São Paulo SP
tel: 11.3081.1070 / 11.3062.3945

Contato: Paula Alves / Diego Briganti



Imagens: DB2 Produção

Desapego

21 de setembro de 2010


Nossa câmera oficial mór-réu...

A gente até tentou ressucitá-la, mas ia sair o preço de uma nova (!!).

Essas coisas modernas são tão efêmeras que deixam esta taurina que se apega a tudo um tanto melancólica...

Momento de silêncio pela falecida.

Marcio: Agora a gente já pode procurar aquela câmera panorâmica que eu estava querendo?

Cris: Shiiiiiiiu!

Cris

Banda Wonkas: Fantástica Fábrica de Shows

20 de setembro de 2010

Quando fomos à degustação no Buffet Christian Formon a Mariana comentou que conheceu uma banda muito boa em um evento que fizeram dias antes. Disse que, apesar de não ser fã de bandas em casamentos, essa era excepcionalmente boa, muito animada e que conseguiu levantar todos os convidados da festa. A gente nem se interessou, nee... ;)

Eriquinha, muito rápida no gatilho, já pegou a indicação, entrou em contato e marcou uma reuniãozinha de apresentação. E com a vantagem da reunião ser uma apresentação delivery, na Eriquinha mesmo, lugar que já estamos acostumados . Tenho que confessar que quando o lugar que temos que ir é totalmente desconhecido fico um pouco tensa: o carro do Marcio não tem GPS e eu sou a encarregada de verificar o endereço+rota no Google Maps, que nem sempre fala somente a verdade, nada além da verdade. E quem sofre com o mau-humor do motorista quando estamos perdidos é a co-pitolo aqui... vou mandar uma reclamação para o SAC do Google Maps, e não para o sr. Pullman, isso sim!

Bom, voltando ao Wonkas, é uma banda relativamente nova - não tem dois anos de existência - e realiza tanto casamentos, como festas de formatura, confraternização de empresas, shows universitários e por aí vai. O Luciano que veio até nós me surpreendeu com a convicção que falava que eles seriam capazes sim de animar TODAS as pessoas em nosso casamento, independente da idade que tivessem.

Na hora eu até pensei em falar que ele não conseguiria não porque uma parte de nossos convidados é Made in Japan, tem mais de 60 anos e só ouve Enka*, mas achei que era crueldade demais porque ele falava com tanta certeza e determinação que não tive coragem de estragar tamanha paixão que ele estava transmitindo. Aliás, isso faz uma diferença enorme quando você quer vender algo, não acham? Eu sou facilmente influenciável por pessoas que sabem vender seu peixe, que falam com paixão sobre seu trabalho - vide Felipe do J.R. Studios.

O nome combina bastante com a proposta porque eles querem fazer um evento animado e divertido para todos participarem, tentando agradar gregos e troianos - e, por que não, japoneses também. Assistimos alguns vídeos de apresentações que eles já fizeram e é notável a animação do público e a interação que a banda faz com ele. Eu adorei o medley sertanejo! Pense em mim, chore por mim, liga prá mim, não não liga prá ele! - pessoal do colégio deve lembrar das "Crises" cantando, não? ;) Aliás, eles contam Milla do Netinho também!! Sessão nostalgia total...

Nós recebemos um CD com amostras do trabalho, mas dá para ouvir na internet clicando aqui. Eles tocam os mais variados estilos musicais, techno, rock, pop, sertanejo, o que você quiser! Para um casamento, a formação básica da banda é de 8 integrantes, que pode variar para mais ou para menos, conforme o pedido do cliente. O show tem duração total de aproximadamente 3 horas: são duas partes de um pouco mais de 1 hora cada com intervalo de 30 a 40min entre elas.

A Eriquinha - e nós também - ficamos um pouco preocupados com intervalos pois é nessa hora que os convidados mais cansados podem fugir, digo, ir embora. Só se a gente combinasse com a Denise para ela fechar todas as saídas do Estação São Paulo e sumir com as chaves! Hehehe... brincadeirinha...

Neste sábado, dia 25 de setembro, eles vão se apresentar no Na Mata Café e estamos nos programando para ir - apesar de achar que eu não aguento um show que começa à meia-noite... alguém se candidata para fazer companhia e dar apoio moral à esta noiva Cinderella? Alguém...?! ;)


Cris


Banda Wonkas: Fantástica Fábrica de Shows
www.wonkas.com.br
contato@wonkas.com.br

Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 229 – 8º andar.
Vila Olímpia São Paulo SP
tel: 11.2738.5595 / 11.7852.2247


Contato: Luciano



* Enka é um estilo de música tradicional japonesa que faz muito sucesso principalmente com os mais velhos e tem como característica principal trechos em que o cantor (ou cantora) esticam as palavras como se estivessem com dor de barriga.

Pomplamoose - La vie en rose

18 de setembro de 2010



Sim, tenho uma quedinha (só quedinha?!) por tudo que vem da França: a língua francesa, a história francesa, os costumes franceses, a culinária francesa, as baguettes francesas, os perfumes franceses, a música fancesa... mas não me pergunte o porquê, porque eu não sei... só sei que gosto e sinto muita curiosidade e interesse pelo país dos croissants. Freud explica? Não não... na França, só Lacan... brincadeirinha...

Uma das músicas em francês que eu mais gosto é a La vie en rose de Edith Piaf. Não sei se vocês conseguem imaginar, mas eu tenho a língua e a garganta meio travadas para falar francês, então cantar na língua é uma tortura para os ouvidos do Marcio... quem mandou a japonesa aqui tentar falar logo essa língua tão melódica e cheia de Ls e Rs...?! Mas a música é linda e eu estou tentando convencer meu noivo a tocarmos em algum momento, seja na cerimônia, seja na festa.

Esta não é a versão de Piaf, mas é tão bonitinha! Adoro o plin! do xilofone! Adoro o jeitinho que a mocinha (Nataly) canta, o piano de brinquedo, os arranjos que eles fazem, as montagens... acho super divertido e o resultado fica lindo! Tenho certeza que a Cá Massumi, minha amiga mais musical - porque amigo mais musical é o Yuji - também deve achar très jolie! ;)

Quand il me prend dans ses bras
(Quando ele me toma em seus braços)

Il me parle tout bas,
(ele me fala baixinho)

Je vois la vie en rose.
(vejo a vida cor-de-rosa.)

Il me dit des mots d'amour,
(Ele me diz palavras de amor)

Des mots de tous les jours,
(palavras de todos os dias)

Et ça me fait quelque chose.
(e isso me toca)

Il est entré dans mon cœur
(Entrou no meu coração)

Une part de bonheur
(um pouco de felicidade)

Dont je connais la cause.
(da qual eu conheço a causa.)

C'est lui pour moi,
(É ele para mim,)

Moi pour lui dans la vie,
(eu para ele na vida,)

Il me l'a dit, l'a juré
(ele me disse, jurou)

Pour la vie.
(pela vida.)

Et dès que je l'aperçois
(E assim que eu o vejo)

Alors je sens en moi
(então sinto em mim)

Mon cœur qui bat
(meu coração que bate)

Cris

Bride Style 2010

17 de setembro de 2010

Imagem: UOL Estilo

No começo da semana fomos a um evento de noivas, o Bride Style 2010 promovido pela Puntuale. Os decoradores e fornecedores de doces montaram lounges no salão da Casa Petra que seguiram os temas clássico, contemporâneo, romântico, folk e vintage. O desfile de vestidos e acessórios também seguiu esses temas e foram apresentadas propostas para tentar agradar todo o tipo de noiva - e noivos, porque vimos alguns figurinos masculinos também.

Este evento foi interessante pois conseguiu reunir em um único dia e local vários tipos de fornecedores, desde serviço de bar, lembrancinhas e carros de aluguel até buffet, DJ, fotógrafos e cinegrafistas. Diferente das feiras de noivas tradicionais que têm vários stands de fornecedores em um pavilhão de eventos, o Bride Style foi como se fosse uma festa para umas 500 pessoas em que os fornecedores apresentam seu trabalho ou produto ao vivo, como se fosse em uma festa de casamento mesmo, e não por fotos ou amostras: o serviço de bar servia os coquetéis, as mesas de doces eram montadas pelos decoradores e servidas pelas doceiras, o chef Viko estava no comando da gastronomia para os convidados do evento e no final ganhamos lembrancinhas, bem casados e garrafinha de água. Perfeito, não?

O Bride Style lembrou um pouco o evento Fala Noiva a que fomos a alguns meses, só que em escala maior. A proposta de reunir noivos e fornecedores em um ambiente confortável e elegante é bem atrativa, principalmente para o noivo e para as acompanhantes das noiva (mães, madrinhas, amigas) que normalmente não têm tanto interesse e paciência como têm as noivas para ir conversando com inúmeros fornecedores nas feiras - deve ser por isso que se chamam "feiras de noivas" e não "eventos de casamentos".

O Marcio fica bem mais animado em ir nesses eventos do que quando eu o convido para um Expo Noivas, por exemplo. Aliás, quem me avisou sobre o Bride Style 2010 foi ninguém menos que o próprio noivo.

Caso Expo Noivas
Cris: Amorzinho! Vamos no Expo Noivas no Centro de Exposições Imigrantes?
Marcio: E se você convidasse a Yumi para ir com você?


Caso Bride Style
Marcio: Mandei um link para você se inscrever num evento. Acho que noivo pode ir junto. Preenche lá.
Cris: Como você encontra essas coisas antes de mim?!

As comidinhas, as pessoas arrumadas e o ambiente de um "evento chic" certamente fazem diferença. Tudo bem que nem tudo é perfeito e achamos que haviam pessoas demais no lugar. Mas, convenhamos, isso também é sinal de que o evento foi um sucesso.

Para conseguir chegar à entrada do local e estacionar o carro estava um caos! Na saída, idem. Até os flanelinhas estavam desorganizados... Também estava difícil de encontrar os fornecedores como a Marcella Pastore que fez uma mesa romântica linda ou a "musa das lentes" do Marcio, Anna Quast, dentro daquele salão enorme abarrotado de gente - e olha que precisa de muita gente mesmo para encher o salão da Casa Petra! Durante o desfile também, demos sorte de ficar bem pertinho da passarela improvisada, mas ficamos com pena de quem estava do outro lado do salão e só sabia o que estava acontecendo pelos telões instalados. Ah sim, e eu fiquei muito triste por nenhum garçom ter conseguido me trazer o delicioso risotto do Viko - mas o Marcio e meu regime agradecem!

E desta vez também teve uma ótima surpresa que foi encontrar a Fê, nossa querida leitora amiga que também foi sorteada e nos fez companhia durante o evento. É muito bom poder conversar com a Eriquinha ou com a dona Danila sobre os preparativos do casamento, tirar dúvidas e receber sugestões... mas é diferente - e muito divertido também - conversar de noiva para noiva! Comentar vestidos, flores, acessórios, bobagenzinhas que ninguém entende, o que cada uma escolheu ou deixou de escolher, falar sobre as "particularidades" dos nossos noivos, das dificuldades em lidar com algumas pessoas.. ah, acho que essas coisas, só noiva mesmo para entender! Hehehe... ser noiva, além das preocupações e neuroses, tinha que ter suas vantagens, não é mesmo Fê?

Que venha o próximo evento!


Cris

Contagem regressiva: 10 meses

16 de setembro de 2010

Imagem: Getty Images

Agora sim estou ficando preocupada: faltam 10 meses para o casamento de Marcio e Cris! Já se foram 6 meses desde que começamos a ver as coisas... incrível como o tempo passa rápido!

Marcio: Ainda bem que já fechamos os itens mais importantes...

Cris: Hum? Por quê?

Marcio: Ué... porque eu que não queria voltar à estaca zero e fazer tudo de novo...

Cris: Não?! Puxa... eu faria tudinho de novo... foi divertido! Principalmente depois que encontramos a Eriquinha...

Marcio: Então se divirtam sozinhas, Amorzinho... e me avisem quando terminarem, viu?

O que temos até agora:

- cerimônia religiosa
- assessoria
- espaço da recepção
- foto e vídeo
- coral e orquestra (da cerimônia religiosa)
- buffet


O nosso foco no momento:

- DJ/Banda


O que vem pela frente:

- decoração
- vestido de noiva (ai meu Deus)

Pão Pullman vs Torrada Bauducco

15 de setembro de 2010


Há alguns anos eu sempre comprava um pão da Pullman que se chamava "Pão Light 7 grãos" e era feliz. Eis que, por algum motivo que eu não conseguia lembrar, substitui o pãozinho pelas torradas Bauducco no meu café da manhã: tomo uma caneca de leite com Toddy Light e uma fatia de torrada (ou pão) com requeijão também light. Super saudável - pelo menos para meu psicológico.

Outro dia, passando pela seção de pães do Pão de Açúcar - o que faz você feliz? - com o Marcio, vi esse pão diferente com DOZE grãos, 5 a mais que o meu ex-pão light, e fiquei com vontadezinha de comer pão ao invés de torradas. Quando abri o pacote e, para a minha surpresa, metade das fatias veio com um rombo no meio, que nem na foto.

Hummmm... eu lembrei porque eu substituí o Pão Light 7 grãos pelas torradas: ele também estava vindo com esses buracos enormes. Achei que era só coincidência, que foi só azar mesmo. Mas faz umas 3 semanas que estou comprando esse pão com doze grãos e ele vem com rombos - às vezes maiores, às vezes menores - que não dá para perceber só pela embalagem.

E por que eu continuo comprando pão com buraco? Não, não é só pela esperança de um dia conseguir um pacote que o pão venha maciço. Mas é porque esse pão é muito bom! Eu comprei o de 7 grãos para comparar e realmente os 5 grãs fazem diferença! Talvez seja só loucura da minha cabeça, mas eu acho que é um pão super fofinho, bem úmido e muito saboroso., diferente dos pães integrais convencionais que são mais secos e durinhos. Dá até para sentir os grãos quando você morde e tem pouquíssimas calorias: 47 kcal por fatia contra... puxa vida! Acabei de ver que uma fatia de torrada tem 40 kcal...! Ponto para as torradas!

Er... mas esse da Pullman é um pãozinho bem gostoso e o buraco deve compensar as 7 kcal de diferença... se bem que a Yumi disse que eu deveria mandar uma reclamação para o SAC deles... mas mesmo eu estando contente com o pão?!


Cris, a acomodada

Aninha, a divertida

14 de setembro de 2010


O casamento da Aninha foi um casamento cheio de surpresinhas, desde o lencinho na igreja, até garrafinha de água no carro... eu não imaginava que a Aninha era tão meiga, detalhista e atenciosa porque a gente só se cruza em eventos sociais e ela sempre foi a "Aninha, a super divertida"!

Eu e o Marcio nos conhecemos e começamos a namorar há cinco anos, tendo apenas dois amigos em comum: a Jú e o Edu. Então, todos os nossos outros amigos eram novidade para o outro. E o Marcio tem muuuuitos amigos e conhecidos - muitos mesmo. Deve ser o charme da sua risada inconfundível! Até hoje a gente não consegue lembrar do nome de todo mundo, mesmo lembrando do rosto e das situações em que nos encontramos. Aí, acabamos achando um jeito de identificar as pessoas, principalmente as que têm nomes repetidos: Jú do beijo - Jú Tachibana - Jú Kishi; Edu Mashimo - Edu da Kablin; Aninha divertida - Aninha do Leo; Mê brava - Mê do convite; e por aí vai...

O casamento da Aninha divertida foi muito lindo porque foi um tantinho fora do formato tradicional a que estamos acostumados, um que vintage e também teve inúmeros detalhes e agradinhos aos convidados que o Marcio anotou direitinho! Hehehe... a gente adorou as flores nas garrafas, os noivinhos do bolo e as lembrancinhas! E eu achei o enfeite de cabelo da Aninha o mais bonito!

Ah! E vocês não sabem do grande feito! Marcio e Cris concluiram o desafio e ficaram na festa até o fim! Rá! Eram TRÊS da manhã e estávamos inteirinhos! Cansados, mas firmes e fortes!

Mas foi como convidados, nee... que comeram, conversaram, dançaram e descansaram nos lounges... diferente dos noivos que estão na correria desde cedo, sem comer muita coisa e pulando na pista sem parar...

É... ainda temos que treinar bastante...


Cris

Indicados Categoria "DJ/Banda"

13 de setembro de 2010

As bandas

Diferente da categoria dos Buffets e Banqueteiros, esta é sobre uma coisa que a gente entende muito pouco que é a parte musical da festa. E não é só a música propriamente dita, mas a iluminação, telões e animação de todo o salão. Eu não fazia ideia de que tinha que pensar em tanta coisa neste quesito...

Eu não sabia que quando você procura uma banda ou um DJ para animar a sua festa eles têm que montar toda uma estrutura de som e iluminação para o local onde vai trabalhar. Existem empresas que são especializadas só nesses projetos e que têm parceria com as bandas e DJs e existem também os que fazem tipo "pacote" com todos os serviços inclusos (música, som e iluminação).

Na Estação São Paulo existem empresas de som e iluminação que são cadastradas e que devem ser procuradas pelas bandas e DJs contratados para que entrem em um acordo sobre o projeto que será montado. O bom é que nesse meio as pessoas se conhecem e sabem que tipo de trabalho fica melhor de acordo com o espaço, número de convidados e montagem de salão propostos, além de terem parcerias específicas para facilitar a escolha entre as opções.

O Marcio disse que vamos passar rapidinho por esta categoria porque a gente entende lhufas da coisa e vai ter que se guiar pelo bom senso - e não pela preferência emocional que acaba atrasando o processo. Aí, só vamos precisar conhecer os indicados pela Eriquinha e escolher o que mais nos agrada em termos financeiros e no geral porque, se é a Eriquinha que está indicando, a gente confia de olhos fechados! Eu já acho que, justamente por não entender lhufas do assunto, vamos acabar demorando para conseguir conhecer, identificar e encontrar o que vamos ter certeza do resultado. Enfim... e lá vamos nós!


Cris


UPDATE: Não fomos conhecer a Banda Shine por dois motivos: pois estava difícil marcar uma reunião e porque banda é mais caro que DJ - e estamos em contenção de gastos.


Imagem: Getty Images

Beyoncé - Single Ladies (Put A Ring On It)

11 de setembro de 2010

Hino da hora de jogar o bouquet: Single Ladies (Put a ring on it) da Beyoncé. Até rimou! Que infame...



Tem vários artistas - e anônimos - que fizeram regravações desse vídeo. O Marcio adora um que é de um moço gordinho dançando de maiô. Adooooooora. Eu mesma já gosto da versão das Chipettes cantando... acho a coisa mais bonitinha dos últimos tempos...!

É uma ótima música para animar não só o momento do bouquet, mas a baladinha também. Se bem que quem parecia estar se divertindo no casamento do primo do Marcio com essa música eram as mocinhas mais novas que a gente... beeeem mais novas, tipo metade da nossa idade, sabe...?

Bom, mas hoje tem casamento da Aninha e eu já vou me animando porque prometi que só iria embora quando mandassem a gente sair da pista! O Marcio que se prepare! ;)


Cris

PS: Gente... como é que essa mulher consegue se mexer tanto?!

Buffet e Banqueteiro escolhido

10 de setembro de 2010

Imagem: Getty Images

Após dois meses e sete degustações, chegamos ao buffet e banqueteiro que ficará responsável pela gastronomia do nosso jantar de casamento. Foram dias de trabalho muito árduo experimentando as criações dos chefs dos buffets mais renomados da cidade, precisando comer todo o jantar que será apresentado no dia, desde o primeiro coquetel até o biscoitinho da mesa de café. Talvez seja injusto, mas tenho certeza que meus 3 kg a mais na balança foram resultado desses dias de intensa pesquisa e avaliação!

Nosso objetivo foi encontrar um buffet e/ou banqueteiro que fizesse comidinha gostosa e bem apresentada, sem ser pomposa demais, a ponto de ninguém saber o que está colocando na boca, mas que tivesse charme digno de um banquete de casamento. Deveria ser bem preparada e bem temperada para que os convidados ficassem com vontade de comer só mais um pouquinho porque está muito gostoso. Além disso, teria que agradar tanto nossos amigos críticos gastronômicos, como nossos parentes diretamente importados do Japão e também quem já está cansado das comidinhas dos milhares de casamentos a que são convidados - e que parecem sempre ter o mesmo cardápio.

O método utilizado foi muito complexo e não conseguiríamos explicar em um único post (é?!), mas tem algumas referências que enumeramos ontem neste post aqui. A Eriquinha nos passou uma lista com as sugestões dela, conferimos se faziam parte da relação de parceria com o Estação São Paulo, analisamos os cardápios e fizemos as degustações. Lembrando que foram excluídos itens salgadoces e afins a pedido dos noivos. Por fim, colocamos os finalistas em uma escala qualitativa fazendo um ranking por preferências, cada um recebeu pontuação de acordo com cada item do cardápio e do serviço, passamos dias fazendo cálculos super complexos utilizando fórmulas matemáticas, estatísticas e astrológicas, e conseguimos, afinal, chegar ao eleito (uau!).

Concluimos que o Zest - Cozinha Criativa é o buffet que melhor atende nossas expectativas quanto a um banquete de casamento por ter itens de apresentação e paladar realmente muito criativos e saborosos. As criações do chef Juliano Cordeiro e de Daniela Kishimoto são delicadas, coloridas e inusitadas e ao mesmo tempo conseguem transmitir aconchego e carinho para quem as degusta, como se tivessem sido preparadas especialmente para você. São muitos anos atendendo noivos que fazem do Zest um especialista em personalização de eventos que, unido a experiência adquirida em eventos de grande porte como shows e espetáculos, fazem com que o serviço não perca o lado humano do servir, sempre garantindo a qualidade de atendimento ao cliente, seja qual for o desafio de logística colocado.

Entre os buffets e banqueteiros que fomos conhecer, foi o que conseguiu pontuação máxima em mais itens avaliados e o que nos deu certeza da escolha foi a negociação entre a Eriquinha e a Fabi que nos rendeu, além muitas risadas, muitas vantagens no contrato e no orçamento, comparado com os demais finalistas. Foi uma negociação tensa regada a espumante e torta de chocolate, com bilhetinhos secretos em guardanapo passando entre a Eriquinha e o Marcio para chegarmos a um acordo favorável para ambas as partes, e que teve um final muito feliz para todos.

Brincadeirinhas à parte, o Zest é uma empresa que consegue conciliar profissionalismo e atendimento personalizado com excelente qualidade de serviço e custo/benefício. Estamos demorando um pouco para fazer nossas escolhas, mas tenho certeza (absoluta!) que estão sendo as melhores escolhas que poderíamos fazer para tornar nosso dia impecável e inesquecível - sim, sou muito modesta...! ;)


Cris

PS: As fotos do post de nossa degustação no Zest foram retiradas para não estragar a surpresa para os convidados no dia do casamento. Alguns itens serão modificados e reformularemos o cardápio conforme nossos gostos para que fique ainda mais a nossa cara!

Como escolher seu Buffet/Banqueteiro e Espaço para eventos

9 de setembro de 2010

Imagem: Getty Images

Comida é importante? Claaaaaro que é! A gente que o diga, depois de SETE degustações... só que em um casamento não dá para dar importância só para este item: o conjunto da obra tem que ser harmônico - acho que vou adotar essa frase como mantra para a vida...

Fato é que a gente penou muito para conseguir escolher um espaço para o nosso casamento. No começo queríamos um espaço sem serviço de buffet fixo, para não ficarmos sem opções, ainda mais com os agradinhos que queríamos para nossos convidados importados. Depois que desencanamos das frescurinhas de cardápio, abrimos o leque para os espaços com buffet fixo, com a condição que eles servissem comidinha boa e honesta. Se já estávamos perdidos, aí sim que a coisa ficou feia. O que vou escrever aqui é o que fizemos e deu certo para nosso perfil e de nossos convidados.


Observação
Não vou entrar nos créditos à nossa querida Eriquinha, assessora-amada-idolatrada-salve-salve, que nos tirou desse labirinto cheio de armadilhas e nos orientou como num passe de mágica para conseguir fazer as escolhas conforme nossos gostos e desejos. Esse negócio de organizar um casamento é só uma vez na vida (espero!), não dá para "ir fazendo" se você não tem experiência com eventos desse tamanho e, pior, é indeciso e perdido como o casal deste blog. Tenho arrepios toda vez que imagino o que teria sido da gente se não encontrasse a Eriquinha...



Escolhendo onde vai ser a festa

Nas nossas pesquisas descobrimos que quando um espaço tem serviço fixo de buffet, o preço cobrado por pessoa é bem alto (entre R$130 e R$250) e o preço do espaço é mais em conta (entre R$5 mil e R$10 mil). Já os buffets especializados em casamentos cobram em média R$100 por pessoa por um jantar franco-americano, mas os espaços interessantes que aceitam buffets de fora são um tanto mais caros (a partir de R$15mil e o céu é o limite!). Se fizermos as contas, acaba saindo elas por elas e por isso concluímos que o importante é o espaço, já que comida boa muita gente faz. A não ser que você tenha se apaixonado perdidamente pela gastronomia do buffet que tem espaço fixo e não atende em outro lugar, vale a pena pesquisar: em São Paulo não faltam opções.

Se o lugar acomoda tranquilamente seus convidados, sem ser grande demais nem do tamanho certinho (é bom ter uma folguinha), se é perto da onde vai ser sua cerimônia religiosa ou tem espaço para que ela seja feita alí mesmo, se a localização é boa e tem infraestrutura suficiente para esse tipo de evento e, o mais importante, se os noivos gostam do ambiente, ok: entra para a lista de finalistas.

Entre esses finalistas, os que permitem buffets de fora devem ter cozinha bem estruturada e preço de utilização desta, razoável. Já os que têm buffet próprio ou fixo devem ter opções de cardápio que agrade vários paladares e, principalmente, os noivos. Sempre é bom participar de uma degustação para conferir o perfil dos pratos e confirmar a qualidade do serviço como um todo. Cuidado com os buffets que não deixam fazer degustação antes de fechar contrato: é melhor ter certeza do que está contratando do que ter surpresas desagradáveis que não poderão ser substituídas.


Escolhendo buffet e banqueteiros


Se tiver alguma indicação, ótimo: a opinião de quem já contratou os serviços ou presenciou o trabalho no "vamo ver" é a melhor que se pode ter. Se não, degustação é o melhor caminho para conhecer o cardápio, a qualidade do serviço, o estilo de trabalho. O primeiro passo é pedir um cardápio e orçamento de serviços para a quantidade de seus convidados e horário de festa.

Como casamos às 17 horas, a festa começará aproximadamente às 18h30min e gostaríamos de servir um jantar franco-americano, aquele que parte é servida por garçons e parte é o convidado que se serve nos pontos de buffet. Escolhemos esse tipo de serviço por dar mais liberdade aos convidados quanto ao momento de se servirem, coisa que no serviço à francesa eles precisam estra sentados para que os garçons possam trazer os pratos: se você estiver conversando com aquele amigo que não vê há tempos e não perceber que o jantar está sendo servido, é capaz de passar fome. Outra opção que cogitamos foi o finger food, que logo foi descartada pela opinião de nossos pais que ficaram esperando o jantar "de verdade".

Coquetel frio, coquetel quente, salada, massa, arroz, carne vermelha, peixe, acompanhamentos, sobremesa, agradinhos... os itens são aprecidos, mas o que conta e a criatividade de cada empresa como variedades e ingredientes inusitados, além da apresentação que conta muitos pontos. O sabor não deve ser nem forte demais nem fraquinho demais: no nosso caso não teremos nem apimentados nem salgadoces, e adoraríamos a presença de peixe e arroz por conta dos japonesinhos mais velhos e dos próprios noivos.

Outros itens importantes:

- conhecer os talheres, copos, guardanapos, refratários e todo material utilizado no evento. Conferir o que eles oferecem e se é cobrado para que talheres e copos sejam montados nas mesas - é que a gente viu um buffet que cobra R$10 por lugar montado e isso dá uma pequena fortuna.

- as horas de serviço também devem ser especificadas, tanto do buffet como do espaço. Normalmente a contagem começa a partir do primeiro convidado que chega na festa.

- alimentação dos fornecedores envolvidos (fotógrafos, cinegrafistas, DJ/banda, assessoria, etc.). Se é cobrado e se é o mesmo cardápio.

- quantos convidados por garçon? Vimos que um serviço bom tem um garçon para cada 10 convidados.

- quantos pontos de buffet por convidado? O ideal é ter 01 ponto a cada 100 convidados (ex: se tiver 250 convidados, serão 03 pontos de buffet no salão)

- limite de antecedência para modificações no cardápio e no número de convidados. Tem multa? Quanto?

- quem comanda no dia? O chef estará presente ou algum responsável ficará o tempo todo no evento?

- conferir o que o espaço que vocês escolheram acha do serviço de determinado buffet: ninguém melhor do que quem já trabalhou junto para dar opinião.

E, por fim, mas não menos importante: preço. O buffet é um dos itens mais caros da planílha de gastos (se não for o campeão) e R$5 por pessoa já fazem uma grande diferença no orçamento. Se você tem 200 convidados, com R$5 de desconto no valor por pessoa do buffet dá para pagar os bem casados ou a roupa do noivo - se ele não quiser um Ricardo Almeida, claro. Como o Marcio já disse, negociar é imprescindível porque o mercado é muito competitivo e ganha quem souber conquistar o cliente.


Cris

PS: E a gente já foi conquistado, tanto pelo espaço como pelo buffet, que a gente conta outra hora. Hehehe... adoro fazer suspense...

Igreja São José do Jardim Europa

8 de setembro de 2010

Altar de São José

Muitos de nossos amigos escolheram a Igreja São José do Jardim Europa para suas cerimônias religiosas de casamento. Nós também a cogitamos quando estávamos a procura do ponto de partida de nossa saga. Ela nos trás muitas boas lembranças e é super charmosa. Mais elogios? Fica em um dos bairros mais elegantes de São Paulo, em meio a muito verde e mansões, fácil acesso para o Itaim e Pinheiros - reduto dos espaços para eventos mais badalados -, é linda tanto por dentro com por fora, bem iluminada e alegre, por ser pequenininha sempre dá a impressão que tem muitos convidados nas fotos (oi?), São José é protetor da Igreja Católica Romana, padroeiro dos trabalhadores e das famílias, e seu dia é aniversário do Marcio (!!). Não é à toa que a agenda de lá é super concorrida, coisa de ter que ver com mais de uma ano de antecedência.

Não consigo imaginar muitos contras... talvez seja um pouco pequena se você tiver mais de 500 convidados porque só existem aproximadamente 200 lugares. Mas dá para ficar de pé nos corredores laterias sem problemas, como já ficamos várias vezes. Igreja é que nem coração de mãe: sempre cabe mais um. Ah sim! Como os casamentos são de hora em hora fica uma muvuquinha na entrada da igreja quando acaba uma cerimônia e tem a troca dos convidados, o que piora se alguma noiva atrasa. Mas também é algo contornável - só tomar cuidado para não entrar na cerimônia errada!

Igreja "sempre cheia"

Sábado passado fomos assistir uma apresentação do Allegro na São José. Fazia alguns meses desde nossa última visita e notamos que ela estava com ar condicionado: lembro que mesmo em casamentos em dias mais frios, por ser uma igreja pequena e quando está lotada de convidados, ela costuma ficar um pouco abafada, mas agora não corre mais esse risco. A Nossa Senhora do Brasil era a única que eu sabia que tinha ar condicionado até agora. Acho que é bem interessante ter esse tipo de conforto em igrejas. Outro dia mesmo, na Catedral Anglicana, um senhorzinho passou mal por causa do calor durante uma missa. Isso porque a Anglicana é bem arejada...

Voltando à São José fresquinha e ao Allegro, nesse dia não era o nosso maestro, mas o que estava lá deu conta do recado muito bem. Só havia orquestra, diferente da formação que contratamos que tem coral também. E vimos que faz bastante diferença, principalmente na marcha nupcial: o coral parece que dá mais emoção ao momento que já é bastante emocionante.

Nós tentamos assistir às apresentações do Allegro na Catedral Anglicana, nossa escolhida, mas é interessante também ver as apresentações em outras igrejas. Dois motivos: é legal para conhecer o repertório ao vivo; e para mudar os ares assistindo missas em igrejas diferentes. O Marcio estava meio entediado com o sermão do padre que era bem mais sério e de fala bem macia, diferente da missa do Reverendo Aldo que é bem interativa, sem deixar de ser respeitosa nem de seguir as tradições.

É... adoramos nossos escolhidos!


Cris

Allegro só com orquestra


Igreja São José do Jardim Europa

www.saojosedojardimeuropa.com.br

Rua Dinamarca, 32 (esquina com a Rua Áustria)
Jardim Europa São Paulo SP
11.3085.1506 / 11.3082.2677

Contato: Sra. Lázara

Obs: Para fazer reserva de data é preciso comparecer pessoalmente à Igreja
.

Reanimando

6 de setembro de 2010


Nessas últimas semanas estava um pouco desanimada por causa de algumas preocupações com o consultório e também com minha "dieta de casamento" - que não está dando o resultado que gostaria. Como está no Sobre nós, sou uma pessoa totalmente influenciável que fica jururu com qualquer coisinha, mas que também é facinho de animar. Aí, o blog sofreu as consequências da falta de ânimo desta autora...

Mas não é que eu me animei? É que ontem teve o casamento da Mê e do Tan e foi um evento super divertido, do tipo que eu não participava há tempos. Acho que eu estava mesmo é com saudade das pessoas, de falar bobagens e sentir a energia boa que paira nessas ocasiões. A Mê estava linda linda, o Tan muito elegante também e o pessoal super animado. E as pessoas ficam muito engraçadas quando estão mais animadinhas que o normal, não é mesmo? ;)

Ah! E acreditem, a Mê jogou o bouquet que caiu no chão e, como ninguém se jogou para pegar, eu fui lá e peguei! Eee! É o da fotinha deste post... lindinho, não? Estou sentindo que ele vai trazer muitas coisas boas para nós... certeza!

E voltamos à programação normal.


Cris

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...