Missa de domingo

5 de agosto de 2010

Quando você decidi casar na igreja precisa ficar atento a alguns detalhes como a obrigatoriedade de fazer um "curso de noivos" antes do grande dia. No caso da Catedral Anglicana não há um "curso de noivos" específico, mas precisamos frequentar a celebração eucarística durante dez domingos. Já estávamos ensaiando nossa estreia há algum tempo, mas só agora ela foi concretizada.

O Marcio é anglicano - pelo menos ele se denomina como tal apesar de não frequentar a igreja desde que eu o conheço. Quando o maestro Tanus me perguntou qual religião eu seguia, o Marcio respondeu budismo e como eu fiz cara de "É?!" ele corrigiu para catolicismo - mas eu continuei com cara de interrogação. A verdade é que meus pais são budistas, eu fui batizada na igreja católica por motivos de força maior que eu já contei aqui e atualmente não frequento igreja alguma, apesar de ter minhas crenças.

Aliás, uma das coisas mais importantes que eu aprendi na faculdade é que religião, política, futebol e linha psicológica, não se discute. O que escrevo aqui são só as minhas impressões dos fatos.

São celebradas quatro missas aos domingos na Catedral Anglicana: às 08:00, às 12:00 e às 18:30 em português e às 10:00 em inglês. Nós fomos na das 18:30 porque a Eriquinha havia dito que era a mais tranquila, e mesmo assim a igreja estava cheia! Estava lembrando que eu nunca fui numa missa que não fosse de casamento ou de sétimo dia. Em nenhuma igreja. Já fui em "cultos" por curiosidade e para fazer trabalho da faculdade (?!), mas nunca como uma ouvinte/participante normal.

Cantamos algumas músicas, lemos um trechinho da Bíblia, "meditamos", ouvimos o reverendo Aldo contar historinhas e pela primeira vez na vida eu recebi uma hóstia. Deixa eu contar como foi:

O Aldo disse que iria partilhar o pão e o vinho (sem álcool) - o corpo e o sangue de Cristo - e todos estavam convidados para receber lá no altar. Como todo mundo estava indo eu também entrei na fila e pedi para o Marcio fazer primeiro que eu faria igual para não passar vexame. A gente estava no fundo da igreja e eu que não enxergo muita coisa direito de longe só vi o Aldo com uma coisa branca nas mãos e fiquei fantasiando o "pão" como um pão italiano enorme que ele teria que dividir com todo aquele povo da igreja. Mas cada um ia receber só uma migalhinha...! Quando chegamos no altar, o Marcio se ajoelhou e fez conchinha com a mão para recebe o "pão". Até aí eu imitei, mas quando recebi da moça um disco branco fiquei surpresa porque não batia em nada com o pão da minha imaginação e esqueci de ver o que o Marcio fez depois...

Imagem: Getty Images


Aí chegou uma segunda moça com uma taça com o vinho e sorriu para mim. E eu sorri de volta. E ficamos as duas sem saber o que fazer porque a moça não imaginava que eu estava lá congelada com o disquinho nas mãos em conchinha tentando adivinhar qual seria o próximo passo. E o Marcio já tinha ido para seu lugar. Ai. Eu olhei para um lado, depois para o outro, fiz cara de quem estava com problemas e queria ajuda e a moça, muito gentilmente, sugeriu que eu molhasse o disco no vinho: aleluia!!

No final da missa o Aldo ficou na porta da igreja cumprimentando todos - inclusive nós - numa fila enooooorme, tomamos um chazinho e voltamos para casa. Minha primeira experiência de celebração eucarística poderia ter sido melhor, mas eu achei bem interessante e fiquei com vontade de conhecer mais sobre o Anglicanismo, independente de ser obrigatório ou não.


Cris

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...