Multifuncionalidade vs caos

28 de julho de 2010

Imagem: Getty Images

Ouço - e leio - várias noivas que têm pesadelos do dia do casamento: é noivo que não aparece, é vestido que não é o escolhido, é igreja vazia... enfim, só Freud - e Jung e Lacan e cia. - para explicar mesmo. Por enquanto, ainda não tive pesadelos desse tipo, mas vira e mexe acordo de madrugada e fico pensando em detalhes bobos que nem adianta pensar até o sono vir de novo - ou eu surtar e ligar para o Marcio.

Certo sábado de casamentos na Catedral Anglicana presenciamos algumas cenas de pesadelos de noivas. Eu e o Marcio ficamos aflitos com a situação e com muita pena dos noivos protagonistas do dia, tudo por causa do Coral e Orquestra contratados. É muito delicado escrever críticas de fornecedores porque podemos ser acusados de difamação e tal, e o Marcio pede para eu tomar bastante cuidado quando for escrever "não tão bem" de alguém. Bom, vamos lá, nee...

No dia não sabíamos quem era o responsável pelo coral, mas fomos lá de alegres mesmo, só para ver os detalhes das cerimônias. Quando fomos sentar no mezanino, os músicos já estavam em seus postos: um violinista, um tecladista, um percussionista, um clarin e uma assessora - pelo menos foi isso que a gente identificou no começo da cerimônia e já de início notamos a falta de um maestro.

Eles tocaram algumas músicas de sala - aquelas que tocam do horário do convite até o horário do início da cerimônia - e já deu para notar que o tecladista "confundia" algumas notas e tocava a música "diferente do normal".

O noivo e os padrinhos entraram, se deu um silêncio, o violinista saiu de seu posto com o violino e desceu as escadas - e Marcio e Cris só se olhando com cara de interrogação. Deu um tempinho, o violinista começou a tocar e logo em seguida o tecladista também: ele tinha descido para acompanhar as daminhas no cortejo. Quando todos chegaram ao altar, mais uma vez o silêncio: agora todos tinham que esperar o violinista voltar para a entrada da igreja, subir as escadas e voltar ao seu posto.

A cerimônia prosseguiu, e chega a hora mais esperada, a entrada da noiva. E não é que o violinista começa a cantar? Sim, agora ele era o tenor. Detalhe para a caixa de som que eles haviam trazido que chiava e fazia uns barulhos, ruídos mesmo, bem desagradáveis enquanto o violinista-tenor cantava. Ainda bem que ele percebeu, desistiu e foi cantar em um outro microfone.

Passado o susto, o reverendo Aldo casou os noivos que trocaram as juras e as alianças. Na hora que os noivos vão ajoelhar-se diante o altar e rezar, o violinista-tenor aparece ao lado deles, com microfone para cantar a Ave Maria. Terminada a Ave Maria, começam os cumprimentos e de novo o silêncio. Desta vez nem o Aldo se aguentou e pediu para que o coral tocasse algo, mas não era possível porque o violinista-tenor na verdade era violinista-tenor-maestro e sem ele os outros músicos não conseguiam começar a tocar.

A cerimônia terminou aos trancos e barrancos e no intervalo deu para notar uma movimentação em torno dos microfones e da caixa de som e presumimos que eles haviam consertado o problema. Chegaram mais cinco pessoas que formavam um coral e ficaram posicionados como tal.

Para não dizer que a segunda cerimônia foi o mesmo caos da primeira, ao final dos cumprimentos, os padrinhos começaram a sair no silêncio, com o senhorzinho responsável pelo som da Anglicana gritando por música e os músicos atrapalhados com as partituras, sem conseguir entrar num acordo de qual música eles iriam tocar. Desespero total no mezanino, inclusive para quem assistia tudo como nós.

Não só "não recomendamos" esse coral e orquestra como ficamos impressionados com o desastre que pode acontecer quando se contrata pessoas não preparadas. Eu espero mesmo que esta tenha sido a primeira experiência (ruim) deles na Catedral Anglicana e que nas próximas cerimônias - se é que alguém vai querer contratá-los depois dessa catrástrofe, digo, apresentação - eles se programem melhor para poder fazer um trabalho decente e não façam do dia mais importante da vida de outros noivos um pesadelo.


Cris

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...